compartilhe

0

WRunners

Cheia de energia e saúde aos 50 anos!

A corrida ajudou Ângela a superar doenças e ter mais disposição para aproveitar a vida

Cesar Candido dos SantosPor
Cesar Candido dos Santos
Cheia de energia e saúde aos 50 anos!

Foto: Magnus Torquato/ FOTOP

Fraca, sem disposição e desanimada… Durante muito tempo, era assim que a auxiliar administrativa Maria Ângela Nascimento, 50 anos, se sentia. Por causa de miomas e cistos no útero, ela sofria fortes hemorragias no período menstrual, que a deixavam completamente sem energia. Para piorar, quando descobriu o problema, ela começou a tomar remédios que traziam mais efeitos colaterais do que melhoras. “Minha vontade era não fazer nada. Só conseguia trabalhar. Não tinha disposição para realizar o mínimo esforço físico ou sequer sair de casa. Minha vida social não existia”, lembra Ângela.

A saúde da auxiliar administrativa foi ficando em um estado tão crítico que ela precisou passar por uma cirurgia para retirada do útero. Tudo saiu perfeitamente e a recuperação foi ótima. Porém, em um exame pós-operatório de rotina, apareceu um novo problema. “Descobri que estava com o colesterol bastante elevado. Fiquei preocupada, pois sou filha de pais hipertensos e com histórico de problemas cardíacos.” Mas sabe aquele velho ditado que diz que “há males que vem para bem”? Com Ângela foi assim. Se não estivesse com colesterol alto, provavelmente, ela teria feito a cirurgia e seguido a vida como antes: sedentária… Foi graças ao distúrbio, que ela começou a correr, com 49 anos.

O início no esporte
O conselho da médica foi bem claro. Ângela precisava fazer exercícios e se alimentar bem para reduzir o nível de colesterol. A auxiliar administrativa seguiu a recomendação a risca e se matriculou na academia. No entanto, como os resultados não apareceram, ela decidiu contratar um personal trainer. “Logo no início, deixei bem claro que não gostava de correr, pois achava que era um esporte só para jovens e atletas profissionais”, lembra. Mas o personal não deu ouvidos a isso e disse que uma das metas do treinamento de Ângela seria correr uma prova de 5K. “Meu objetivo era terminar em 50 min. Comecei a treinar sem acreditar muito que conseguiria isso.”

Ela fez muito mais do que completar a distância. Cruzou a linha de chegada em 36 min, uma ótima marcar para a estreia. “Fiquei muito feliz e me senti vitoriosa! Ali, percebi que adorava correr e já no dia seguinte me inscrevi em outra prova.” E aí não parou mais. Já encarou até os 21K e planeja fazer sua primeira maratona em 2018. “Hoje, graças à corrida, meu colesterol está baixo e a autoestima, nas nuvens. Perdi um pouco de peso e tenho mais disposição e energia para encarar qualquer desafio”, afirma Ângela. “Gosto muito do clima maravilhoso que envolve a corrida. Hoje, aos 50 anos, sinto-me uma garota e planejo completar uma maratona”, finaliza.