compartilhe

0

Colunistas

Meia-maratona abaixo de zero

Minha primeira meia-maratona com temperatura abaixo de zero foi uma grande experiência

Bruna GuidoPor
Bruna Guido

Oi atletas, como estão?

Neste mês de Março participei da minha sétima meia-maratona em menos de 1 ano. Foi, sem dúvida, a mais especial e a mais linda. Corri a United Half NYC com a temperatura de menos 2°C e uma sensação de estar a menos 10°C.

Foi uma experiência incrível e inesquecível, o frio era tanto que chegava a doer. Minhas mãos congelaram e eu não consegui pegar os copinhos com água e muito menos abrir meu bolso para pegar o gel de carboidrato. Mas não senti essa necessidade, mesmo correndo 21 km.

Cheguei para a largada meio que “na hora”, não tive muito tempo para caprichar no aquecimento, mas não deixei de fazer e nem de me movimentar bastante.

MAIS
Teste: você está preparada para os 21 km?
Invista na corrida noturna e aproveite os benefícios

O meu maior erro foi não ter ido com uma blusa mais quente e luvas impermeáveis. O que a grande maioria faz é “jogar” blusa pelo caminho e depois passa um caminhão recolhendo as peças e tudo é doado para quem precisa.

Eu fiz isso na maratona que participei em novembro, mas eu não tinha uma blusa mais “velha”, confesso que fiquei com dó de jogar uma das minhas.

Enfim… Durante a corrida eu batia os dentes de tanto frio, mas via pessoas correndo com shorts e top, então eu não podia dar desculpa do frio e não fazer o meu melhor.

E realmente foi o meu melhor. A cada quilômetro eu mantinha um ritmo forte e não me sentia cansada ou ofegante, sentia as pernas quentes e o coração batendo – era tudo o que eu precisava.

Como eu não consegui beber água, eu passava a língua nos lábios durante a corrida,. E, adivinhem, minha boca congelou! Parecia que estava anestesiada, fui gritar e saiu um “Va, Bazil” (queria que vocês ouvissem). Hahaha.

Depois da prova peguei a minha blusa, mas mesmo assim não adiantou. A chegada da prova foi no Central Park, uns 2 km do hotel onde estava hospedada. Até chegar no hotel entrei em três restaurantes só para tentar me esquentar. Tremia dos pés à cabeça até me enfiar embaixo da água quente do chuveiro.

Foi uma experiência maravilhosa e a dica que eu dou para quem é acostumado a treinar e correr no calor é: compre roupas quentes, mas roupas específicas para corrida nessas temperaturas. Calças, blusas, gorro e luvas. Cheguem cedo na largada para deixar seus pertences no guarda volume e não esqueça do aquecimento.

Você pode escolher uma roupa quente e confortável para correr o tempo todo com ela ou jogar no meio do caminho para doação. Outra dica é deixar o gel em um lugar fácil para pegar, sem zíper.

E vá sempre preparada para fazer o seu melhor tempo, pois essa temperatura exige menos esforço se comparada ao calor do Rio, por exemplo.

Meu próximo e último desafio antes da maratona são os 21 km na Cidade Maravilhosa. A temperatura é oposta da de Nova York, mas o percurso é mais plano, então vamos que vamos.

Um grande beijo e até a próxima!