compartilhe

0

0

WRunners

“Quando subo na esteira me sinto no palanque, poderosa!”

As distâncias maiores são as preferidas da dentista Maria Claudia Tureli, que já cruzou a linha de chegada de oito meias-maratonas

RedaçãoPor
Redação

Por Marcia Di Domenico

Maria Claudia Tureli, 39 anos, é a animação em pessoa. Dentista, corredora e mountain biker, ela vive todas essas paixões com o mesmo entusiasmo e tem o dom de motivar quem atravessa seu caminho – seja na pista, seja no consultório.

Foi assim que vários de seus pacientes se tornaram corredores de carteirinha. E que colegas de treino e seguidores nas redes sociais acabaram virando pacientes. Nem as crianças escapam: aquelas que seguem direitinho o tratamento dentário ganham medalhas como as entregues a quem cruza a linha de chegada em uma prova de rua.

No Instagram, compartilha não só momentos da rotina profissional e esportiva como aproveita para publicar conteúdo que mostra que corrida e odontologia têm bastante em comum, além de contribuírem para a saúde – por exemplo, ela fala da relação entre o consumo de isotônicos e o aparecimento de cáries ou sensibilidade dentária e da ocorrência de bruxismo em corredores.

Claudia começou a correr há quatro anos, depois de mais de uma década de sedentarismo por causa da dedicação total aos estudos e ao trabalho. Na primeira viagem que fez após tanto tempo sem férias, percebeu que era hora de se divertir e cuidar mais de si. Matriculou-se na academia e depois de poucas vezes em cima da esteira resolveu que não queria mais parar de correr.

MAIS
6 dicas para a sua primeira corrida de 8 km
4 dicas para você fazer seus primeiros 4K!

“A corrida mudou tudo na minha vida: meu olhar para o trabalho, minha criatividade, meu jeito de socializar e até o estilo de me vestir”, conta. “Quando subo na esteira me sinto no palanque, poderosa.”

A primeira Venus dela foi em 2015, quando completou 15 K. As distâncias maiores, aliás, são as preferidas da dentista, que já cruzou a linha de chegada de oito meias maratonas.

“As provas longas são um desafio não só para o físico, mas para a cabeça”, diz. E desafios são com ela mesma. Claudia nasceu com uma luxação congênita no quadril, o que limita em parte o movimento da corrida e exige treinamento bem orientado, mas não impede que ela siga buscando se superar.

Quando está no asfalto, usa estratégias para desfocar do cansaço e de pensamentos negativos que podem minar o desempenho: conversa consigo mesma, retoma momentos de superação que atravessou e agradece por tantas dificuldades vencidas. Claudia também costuma dedicar cada quilômetro completado a alguém importante para ela.

“Gosto de pensar que cada dia é uma nova largada: você tem a chance de vivê-lo como quiser, no seu ritmo. Sou a prova de que uma cabeça forte faz um corpo forte.”

Venus 15K

A Venus é uma corrida exclusiva para mulheres realizada desde 2008. Neste período,  já contou com mais de 150 mil mulheres. A Venus chega a São Paulo no dia 2 de setembro e no Rio de Janeiro no dia 23 de setembro. Ambas as provas, que já têm inscrições abertas, terão percursos de 5 km, 10 km e 15 km.