compartilhe

0

0

WRunners

“A corrida mudou a minha vida”

O esporte ajudou Gabriela a eliminar 22 kg e tornou-se sua grande paixão

Juliana MesquitaPor
Juliana Mesquita

Há cerca 3 anos, Gabriela, de 23 anos, decidiu que era hora de mudar. A supervisora de operação chegou a pesar 87 kg e, a partir daí, resolveu dar um novo rumo para a sua vida.

“Comecei uma reeducação alimentar quando não me sentia mais bem comigo mesma e nenhuma roupa me servia. Se eu continuasse naquele ritmo, logo estaria pesando 100 kg”, lembra.

A corrida entrou na sua vida logo em seguida. “Comecei a correr na tentativa de emagrecer. Já havia tentado outras coisas, como academia e dança, mas não conseguia nenhum resultado satisfatório”, conta.

No início, Gabi treinava sozinha e somente nas horas vagas, mas logo o cenário mudou. “Antes, corria quando dava ou, simplesmente, a distância que eu aguentava correr naquele dia. Depois, comecei a treinar com uma equipe de corrida, com treinos orientados e específicos. Cada dia fazia algo diferente e, nos finais de semana, investia nos treinos longos.

Rotina de treinos

“A corrida mudou a minha vida”

Gabi, que antes corria quando dava, agora possui dias dedicados ao esporte. “Eu treino com a orientação de uma planilha feita especialmente para mim, de acordo com meus objetivos, pace e evolução. Durante a semana, treino todos os dias, intercalando treinos de tiro, regeneração e fartlek. Além disso, faço natação duas vezes por semana e, para evitar lesões, realizo fortalecimento muscular na academia três vezes por semana (nos dias em que o treino da corrida é mais leve)”, destaca.

No fim de semana, Gabi costuma fazer um longão ou participar de alguma prova de corrida. É claro que ela também tira um dia para descansar e repor as energias.

MAIS
A primeira meia maratona a gente nunca esquece
Juntas somos mais fortes

O esporte, que era encarado como uma forma de chegar ao peso desejado, hoje tornou-se paixão e Gabi já conta com várias provas no currículo.  “Em casa já tenho mais de 70 medalhas de participação em eventos de corridas. Já participei de corridas com as mais variadas distâncias – dos 4 km até os 16 km”, ressalta.

Apesar da enorme lista de provas, sempre tem aquela ou aquelas que marcam mais. Com ela, não foi diferente. “As que eu mais gostei foram a São Silvestre (marcada pela alegria dos corredores), a Athenas do Rio de Janeiro (uma das melhores corridas devido à cidade maravilhosa e à excelente organização) e a corrida do Cristo em Poços de Caldas (MG) (marcada pela dificuldade e beleza do lugar)”, lista.

A perda de peso


Não é fácil passar por um processo de reeducação alimentar. Largar antigos hábitos pode levar um certo tempo, mas com foco e determinação, é possível. Gabi, por exemplo, eliminou 22 kg. Antes ela pesava 87 kg e hoje marca 65 kg.

“A minha perda de peso aconteceu de forma gradativa. Nesse tempo, passei por acompanhamento nutricional para conseguir perder peso de forma saudável e correta. A corrida entrou como uma aliada nesse processo, já que o gasto calórico é bem elevado”, destaca.

Para conseguir emagrecer e manter o peso, Gabi afirma que come de tudo, mas de forma controlada. “Como de três em três horas e levo todos os dias para o serviço os lanchinhos do dia para não sair da dieta. Posso fazer duas refeições por semana fora da cardápio, então deixo para utilizá-las nos finais de semana. Não me privo de nenhum alimento, só não consumo mais refrigerante”, garante.

Apesar de já ter eliminado 22 kg ao longo desses três anos, Gabi ainda quer perder mais 5 kg e reduzir 10% de gordura corporal. Na corrida, ela também tem outras metas. “Meu próximo objetivo é baixar meu tempo nos 5 km e 10 km e correr minha primeira meia-maratona”.

Uma paixão para a vida toda

“A corrida mudou a minha vida. Comecei a dormir mais cedo, porque tenho consciência de que no próximo dia preciso estar bem para correr. Muitas vezes, nos finais de semana, deixo de sair ou fazer algo porque no dia seguinte tenho alguma competição – não considero isso como uma restrição ou sacrifício e, sim, como um estilo de vida que eu escolhi. Hoje, se precisar, eu acordo às 4h para treinar e viajo muitos quilômetros para participar de alguma competição. Além do mais, conheci diversos amigos por meio da corrida, amigos que contribuem para a minha evolução e que vou levar para o resto da vida”, finaliza