compartilhe

0

Treino

A hora certa de voltar a treinar após a gravidez

Esperar a recuperação completa do organismo é fundamental para não ter problemas ao fazer exercícios

Juliana MesquitaPor
Juliana Mesquita

A hora certa de voltar a treinar após a gravidez

Cada vez corredores não deixam o esporte de lado durante a gravidez – o que faz muito bem para a saúde da mamãe e do bebê. Porém, muitas mulheres ainda têm dúvida de como e quando retomar os treinos após o parto.

Por mais que o desejo de fazer exercício seja grande, é fundamental respeitar o tempo de recuperação do organismo antes de pensar em praticar atividades físicas. “O tempo para voltar a correr depende do tipo de parto. Se foi normal, é indicado pelo menos 30 dias para que o corpo inicie o retorno às condições de antes da gestação. Se foi cesárea, é preciso aguardar no mínimo três meses, já que se trata de uma cirurgia”, ressalta a ginecologista e obstetra Célia Beatriz David. A profissional ainda alerta que, caso a mamãe tenha ganhado muito peso durante a gestação, é preciso reavaliar esse tempo. Motivo: o excesso de peso pode sobrecarregar a coluna.

Gizele Monteiro, personal gestante e coach de mamães, ressalta que a mulher só deve voltar à corrida quando a musculatura abdominal e do períneo estiverem completamente recuperadas. “Problemas como incontinência urinária, que muitas pessoas acham normal, são um sinal de que essas áreas do corpo ainda não estão 100%”, esclarece. Gizele ainda aponta um erro comum entre as mamães. “Muitas mulheres voltam a correr para emagrecer, achando que estão com gordura localizada na barriga. Mas, na verdade, elas possuem uma diástase (afastamento dos músculos abdominais e do tecido conjuntivo) não recuperada da gravidez, ou sua musculatura está totalmente fraca e debilitada.” Por isso, antes de se aventurar em qualquer esporte, consulte um médico.

A hora certa de voltar a treinar após a gravidez

Ritmo leve
Mesmo após o sinal verde para retornar à corrida, é preciso ter cautela. Não pense em voltar de cara no ritmo que você estava acostumada antes da gestação.  “Por causa da perda de força durante a gravidez e também das alterações articulares, o corpo da nova mamãe se torna muito instável. Então, além de iniciar com trotes bem leves ou até caminhadas, é importante fazer um trabalho complementar de reforço muscular, para suportar o impacto do esporte. Além disso, nessa volta é importante começar com um volume baixo de corrida, algo entre 10 e 20 minutos”, ressalta Gizele.

A partir do momento em que o obstetra em conjunto com um treinador avaliarem que tudo está bem, aí sim é o momento de aumentar a quilometragem e a velocidade da corrida progressivamente.

Treino e amamentação
No geral, a corrida não interfere na amamentação, mas é preciso tomar algumas precauções. “Deve-se aumentar a hidratação, pois o corpo perde líquidos durante a corrida (no suor, por exemplo) e a produção de leite pode diminuir caso falte água no organismo” alerta Beatriz Davis. Também é importante usar um top adequado para a prática esportiva, que garanta bom supor as mamas. “Se elas estiverem muito grandes, podem aparecer estrias devido ao impacto das passadas”, destaca a ginecologista.

Corredora de primeira viagem
Se você não costumava correr antes da gravidez e quer começar agora, é preciso redobrar os cuidados. “Após recuperar a parte muscular, é imprescindível  iniciar com caminhadas. Quando o corpo estiver adaptado, comece a alternar alguns minutos andando com outros trotando. Conforme seu corpo evoluir, vá aumentando o tempo do trote, até conseguir correr o tempo todo”, indica Gizele.

CONHEÇA OS BENEFÍCIOS DA CORRIDA PARA AS NOVAS MAMÃES
– Durante o exercício, há liberação de endorfina, hormônio responsável por reduzir a ansiedade e o estresse e promover a melhora do humor.

– A corrida ajuda a prevenir a depressão pós-parto e melhora equilíbrio emocional.

-Favorece o emagrecimento e o ganho de autoestima.