compartilhe

0

Treino

Não pule etapas! Aprenda a evoluir na corrida do jeito certo

O treinador Leandro Sandoval ensina como deve ser a preparação para evoluir na corrida do jeito certo, evitando lesões

Redação WRunPor
Redação WRun

 

evoluir na corrida

Foto: Shutterstock

Muita gente que não corre ou é iniciante na corrida pensa que correr é muito simples. A pessoa começa caminhando, depois corre curtas distâncias e quando começar a ter mais resistência, basta aumentar o volume do treino. Certo? Errado. O diretor técnico de corrida da Life TrainingLeandro Sandoval, explica que evoluir na corrida não é algo que acontece tão  naturalmente. Para isso, o atleta precisa treinar muito e ainda contar com uma somatória de fatores.

“O primeiro passo é treinar corretamente, ou seja, a evolução ocorre com treinos bons e de qualidade. Nesses treinamentos devem ser respeitados o histórico de cada pessoa, tem que treinar bem as variações de ritmo, treinos de força com subidas, progressão, alternância de ritmo e longos com distâncias adequadas para cada atleta”, explica Sandoval.

Inscreva-se: Cosan Athenas 18K dia 16.06 no Rio de Janeiro  e dia 14.07 em São Paulo

Segundo o treinador, além de todo o treino, o ajuste de volume semanal a ser corrido também tem que ser compatível com o nível atual do atleta e seu histórico enquanto corredor.

Técnica de preparação

Leandro ensina que para evoluir na corrida, a preparação correta deve ser de acordo com o objetivo definido, sendo indispensável treinar pelo menos três vezes na semana. “Defina as distâncias que serão sua base para evolução, ou seja,  suas provas alvo. Por exemplo: 5K/10K/14K ou 10K/18K/21K. Além de manter o foco e não deixar de treinar”, explica o treinador.

Ele revela que é muito importante cumprir corretamente um programa de treinamento. Quanto mais individualizado ele for, melhor será, pois isso irá resultar em um combo performance de qualidade + excelentes resultados. “Acredito que em média com quatro meses de preparação inicial até a primeira corrida e com dois meses de bons treinos entre a segunda e a terceira corrida já se atinja a meta de evolução com qualidade”, afirma.

Segundo Leandro, para isso é importante fazer ao menos dois treinos de variações durante a semana, que ele costuma chamar de “treinos de qualidade” para ter ganhos físicos específicos, e um treino longo para graduar as distâncias nos finais de semana – com dias intercalados entre eles. “Para atletas mais experientes eu ainda indico pelo menos mais dois treinos de rodagem ritmada entre eles, para dar maior volume e melhorar a recuperação entre uma sessão e outra”, explica.

Leia mais:

Uma dose de resiliência: dos 3 km à minha primeira maratona

O caminho das pedras para correr a Cosan SP City Marathon

Já posso aumentar os kms?

De acordo com o treinador você saberá que pode evoluir na corrida quando estiver:

  • Treinando com frequência
  • Seguindo um bom programa de treinamento
  • Dominando perfeitamente seu organismo no ritmo
  • Experiente e ter criado um bom histórico nos treinos
  • Controlando bem o seu nível de esforço
  • Com bons tempos nas provas com distância específicas
  • Correndo com desenvoltura, além de ter uma ótima recuperação pós-prova

“A partir deste ponto acho que pode ser o momento para pensar em evoluir na distância”, comenta.

Pulando etapas

“Quando pulamos etapas na preparação, quem sofre diretamente é o corpo do atleta. Muitos atletas nem lembram que quando corremos utilizamos o cérebro, coração, pulmão, rins, fígado, baço, etc. Ao pular etapas, você estará levando seu corpo todo a um nível muito alto de desgaste e estresse. Todos esses órgãos de importância vital, além dos ossos, músculos, articulações, coluna e quadris, sofrerão para manter o organismo funcionando enquanto você está correndo”, explica.

Segundo Leandro, esse esforço radical provavelmente vai gerar problemas futuros, podendo causar algum tipo de patologia clínica, lesão muscular ou articular ou até um problema psicológico, como a depressão, após um grande estresse de esforço em corrida.

Por Brenda Prestes