compartilhe

0

0

Nutrição

4 erros de nutrição que (quase) toda corredora comete

Seguir uma alimentação balanceada e focada em sua planilha é essencial para manter seu corpo 100% durante os treinos

RedaçãoPor
Redação


Já sentiu aquela dorzinha na lateral do abdome enquanto corria? Acordou animada para o treino, mas o pique diminuiu após o café da manhã? Ou, ainda, precisou fazer um pit stop não programado no banheiro durante uma prova? Se você respondeu sim a alguma das perguntas, são grandes as chances de ter cometido erros de nutrição na sua rotina.

Com a ajuda da médica nutróloga Lenina Matioli, da clínica Juvy, em Taubaté (SP), listamos deslizes que talvez você esteja cometendo e nem tem ideia – evitá-los é essencial para melhorar seu desempenho durante os treinos ou provas.

1. Não respeitar a pausa entre a refeição e o treino
Muitas corredoras tendem a se alimentar com lanches ditos leves, como frutas ou um sanduíche “light”, imediatamente antes do treino. “Só que as refeições sólidas, na melhor das hipóteses, levam de duas a três horas para saírem do estômago”, diz a especialista. Pior: quando ela é composta por gorduras (como a pasta de amendoim, por exemplo), pode levar até cinco horas para serem digeridas.

Nesse caso, o sangue que iria para o músculo, visando sua performance máxima, acaba sendo desviado em parte para a digestão. “Isso pode levar à queda de rendimento ou causar a famosa “dor de lado” durante o exercício”, fala Lenina. Se você não conseguir aguardar duas horas entre o lanche e o treino, use um suplemento de carboidrato indicado ao seu objetivo. “Ele é absorvido mais rapidamente que os alimentos.”

2. Experimentar novos géis de carboidrato
Não é porque você está acostumada a usar gel de carboidrato que pode tomar qualquer um durante a prova. “Leve na pochete ou no cinto porta-objeto produtos a que está acostumada, pois os géis podem soltar o intestino e essa sensibilidade varia de marca para marca”, fiz Lenina. Ou seja, deixe para experimentar uma marca nova apenas nos treinos – ou corra o risco de passar minutos valiosos no banheiro.

MAIS
Alimentação para os treinos de 10K
Guia de nutrição para quem vai correr os 21 km

3. Tomar suplementos sem recomendação
“O bombardeio de propaganda ajuda a disseminar a ideia de que o suplemento faz milagres, mas não é assim”, comenta Lenina. O que leva a corredora correr bem é o ajuste fino entre alimentação, treino e descanso, com ou sem suplementos. O uso desses produtos deve ser avaliado por um profissional especializado, já que eles possuem vários propósitos – o de ajustar doses corretas de nutrientes na dieta para a melhora da performance é apenas um deles.

4. Evitar certos alimentos à noite
Você corta os carboidratos do seu jantar porque eles engordam? Não deveria. “Esse nutriente é importantíssimo para a recuperação muscular após qualquer sessão de treinos, independentemente do horário do término”, fala Lenina. O consumo de carboidratos naturais (batata-doce, mandioca, arroz e feijão, etc.) depois do treino, em quantidades adequadas às suas necessidades individuais, ajudará a recuperação de energia para a próxima corrida.

*Postado originalmente em 04/07/2016