compartilhe

0

0

Colunistas

5 dicas para ter uma barriga chapada

Elimine gordura da região abdominal e conquiste o shape desejado

Alessandra DianinPor
Alessandra Dianin

A barriga chapada é o sonho de muitas mulheres – e homens também. Primeiro, entenda que é impossível determinar ONDE você vai perder a sua gordura e eliminar apenas naquele local. Somos geneticamente diferentes e se estiver numa academia, por exemplo, vai perceber como alguns perdem a gordura no braço mais rápido enquanto outros perdem mais nas costas… Mas algumas dicas podem fazer você mobilizar mais a gordura da barriga, que é também a mais nociva e perigosa.

1. DURMA BEM

Se você está na luta contra a gordura localizada, dormir é parte essencial. Um dos nossos milhões de hormônios necessita que você durma um sono profundo e reparador: a leptina. No fim do texto, tem a fonte em que achei essa informação, mas, para resumir, a leptina está diretamente ligada com o controle do apetite, regula como seu corpo vai gastar energia (ou armazenar) e controla o metabolismo da gordura. Convencido??

2. CUIDE DAS INFLAMAÇÕES

Um estudo comprovou que quem tem tendência a inflamações ganha peso com mais facilidade. Essa mesma pesquisa mostrou a facilidade de isso ocorrer via doenças orais. Ou seja, você anda escovando seus dentes o suficiente? As pessoas que tinham um maior cuidado com a higiene bucal nessa pesquisa, tiveram melhor resultados na perda de peso!

Mais dicas práticas: inclua nas suas refeições alimentos com ômega-3, bem como pimenta vermelha, romã, abacate e azeite extra-virgem. Lembre-se que tudo que você coloca “para dentro” tem consequências maiores do que só calorias a mais. Isso, no futuro, vai influenciar na sua dificuldade em perder peso e no alcance da barriga chapada.

No meu dia a dia, coloco gengibre nos sucos e chás. Assim, pelo menos eu garanto a ingestão de um alimento com ação anti-inflamatória todos os dias.

MAIS
Treino para fortalecer o abdome e detonar gordura
5 variações de prancha para fortalecer o abdômen

3. PERCA GORDURA, MAS FAÇA EXERCÍCIOS ABDOMINAIS

Vejo as duas coisas diariamente:

A) pessoas que querem emagrecer primeiro para depois tonificar a barriga.
B) pessoas que querem emagrecer fazendo abdominais.

Lembre-se que a camada de gordura fica por cima dos seus músculos. Então, fazendo os exercícios, você não vai ver os músculos se definindo, mas não quer dizer que essa ação não esteja ocorrendo. Além disso, vai ser muito mais difícil tonificar e definir depois de perder o peso desejado e ver a pele flácida.Portanto, faça as duas coisas ao mesmo tempo! Dê tempo ao seu corpo de ir reduzindo e tonificando ao mesmo tempo.

4. NÃO PULE O CAFÉ DA MANHÃ

Acho que você já está cansado desse assunto, porém vou falar até não ouvir mais ninguém falando que pula o café da manhã quando está com pressa. Não comer esta refeição – ou qualquer outra – não vai ajudar você a perder peso.

Mas o café da manhã, mais do que qualquer outra alimentação, vai influenciar em como você vai se “relacionar” no resto do dia com a sua comida e com fome. Seu cérebro, com certeza, vai optar por fontes de maiores energia, ou seja, comidas mais gordurosas, mais açucaradas e muito mais calóricas. E para onde isso vai? Direto pra sua barriga!

5. ANDE 10 MIL PASSOS POR DIA

Essa é a recomendação da Sociedade Brasileira de Cardiologia entre outras instituições relacionadas a saúde. Use qualquer app no seu celular para contabilizar o quanto você está andando diariamente.

Uma pesquisa mostrou que o grupo que andava 10 mil passos diários foi capaz de perder gordura abdominal mais rapidamente. Esses mesmos participantes reduziram drasticamente os passos diários, mas mantiveram a alimentação, e a gordura abdominal aumentou 8%.

Adorei essa pesquisa, pois ela comprova que mesmo comendo bem, você precisa se exercitar para atingir resultados mais saudáveis – inclusive, uma barriga chapada.

Fontes:
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27302000000300004
Jianping Ye and Jeffrey N. Keller. Regulation of energy metabolism by inflammation: A feedback response in obesity and calorie restriction. AGING, June 2010, Vol.2 No.6
Mitchell S. V. Elkind Impact of innate inflammation in population studies. Ann. N.Y. Acad. Sci. 1207 (2010) 97–106